PIMENTA

em

PIMENTA

Quem é que nunca degustou de um prato picante, condicionado pelo tempero de uma pimenta? Muitos têm medo de sua ação, a sensação de ardência causa um pouco de receio em alguns, porém, o que poucos sabem é que este condimento faz muito bem à saúde.

A informação é do médico nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, em matéria publicada na edição da Revista Veja de 12 de outubro. Entre as variedades existentes do condimento, o especialista destaca a pimenta “Capsicum”, que segundo ele, possui a substância capsaicina, que produz ação antiiflamatória e antioxidante para quem a consome.

A reportagem falou ontem sobre o assunto com Durval Ribas. “Essas pimentas são fontes de vitamina A, C e E e contêm antioxidantes, que combatem os radicais livres, a substância tem propriedade termogênica, que aquece o corpo e acelera o metabolismo basal (gasto calórico do corpo em repouso), porém a pimenta é usada apenas como tempero, a quantidade ingerida não tem influência efetiva sobre o emagrecimento”, explicou.

No mercado existe uma variedade de pimentas, entre elas destaca-se a dedo de moça, cumari, fatalii, pimenta do reino preta, rosa, verde, branca, a capsicum que se diferenciam por apresentar cores diversificadas e ter pigmentos antioxidativos e com anti-liberação de radicais livres.

A comida baiana é conhecida como sempre bem apimentada, porém o nutrólogo alerta que não é a quantidade que irá definir a saudabilidade do prato, o excesso é prejudicial à saúde. Nem todos também, podem consumir este tipo de tempero; pessoas portadoras de gastrite, duodenite, úlceras pépticas, colon irritável, hemorróidas ou com câncer no sistema digestivo devem evitar o consumo da pimenta. De acordo com especialista, a pimenta possui substância de maior liberação de suco gástrico e aumento do ph, isto é, da acidificação do suco gástrico.

Há pessoas que dizem que a pimenta ajuda no tratamento contra a enxaqueca, mas o nutrólogo diz que não é aconselhável usá-la como tratamento agudo, pois não há evidências científicas para tal finalidade, “porém, se os portadores de enxaqueca fizerem uso regular de pimenta e sentirem melhora do seu quadro clínico, não há restrição para usar”.

OUTROS TIPOS

Para quem nunca degustou uma pimenta o ideal é começar pelo pimentão, encontrado como “Cambuci” e “Biquinho”, são pimentas que não ardem, para os amadores, há a pimenta “Dedo de Moça”, com ardência que varia de suave a média, já para os mais ousados e aventureiros, a pimenta “Cumari” ou “Malagueta”, presentes em pratos fortes como vatapá e feijoada e para os que gostam de um desafio, resta a pimenta considerada mais ardida do mundo como a “Fatalii”, que possui ardência em níveis sobre-humanos mesmo com a remoção das sementes.

DICAS IMPORTANTES

Se exagerar ao degustar um prato com pimenta, ao invés de beber água, beba sempre leite. Ao contrário do que se pensa, a água faz prolongar ainda mais a sensação de ardência, ao ingerir a água, ela lava a língua e facilita a absorção de mais capsaicina.

Já o leite possui a proteína caseína, que forma uma espécie de barreira que impede a entrada de novas moléculas da substância da capsaicinoide.

Se por algum acidente esfregar as mãos com pimenta nos olhos, lavar com água abundante e procurar em seguida um oftalmologista.

Fonte: http://confrariadapimenta.blogspot.com.br/2011/10/consumir-pimenta-faz-bem-saudediz_20.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s