Passo a passo para fazer sua própria manteiga em casa

Saiba como preparar manteiga caseira e a utilize em diversas preparações!

Quem não ama comer um pãozinho bem quentinho no café da manhã com bastante manteiga? Ela pode ser preparada em casa sem grandes mistérios e com um ingrediente simples que todo mundo ama: o leite!

Nós do TudoGostoso já te ensinamos algumas maneiras incríveis de utilizar a manteiga no seu dia a dia e, agora, vamos te ensinar a preparar sua própria manteiga caseira, utilizando apenas leite!

Você vai precisar de leite apenas. Separe 2 litros e vamos começar:

Em uma panela grande, coloque os 2 litros de leite e leve à geladeira por 12 horas.

Depois desse tempo, com a ajuda de uma colher, retire cuidadosamente a nata formada no leite e guarde-a em um recipiente com tampa.

Repita esse processo por mais alguns dias até que tenha conseguido retirar do leite aproximadamente 1/2 litro de nata.

Depois de juntar essa quantidade de nata, coloque-a em uma garrafa de vidro esterilizada, tampe-a e comece a agitar bem a nata! Balance bem a garrafa!

Quanto mais você mexer, mais a manteiga ganhará textura!

Mas não precisa mexer até obter a manteiga, não! Para não cansar seus braços de uma vez só, balance bem a garrafa a cada 1 hora.

Depois que a manteiga começar a formar grumos, abra a garrafa e peneire para retirar todo líquido.

Agora, molhe as mãos em água bem fria e pegue a manteiga. Modele-a como preferir e “lave” a manteiga com um pouco de água fria para retirar qualquer resquício de soro.

Coloque a manteiga em um recipiente que desejar e leve à geladeira até que endureça.

Prontinho! Sua manteiga está pronta!

FONTE : http://www.msn.com/pt-br/receitasebebidas/receitas/aprenda-a-fazer-manteiga-caseira-em-poucos-passos/ar-BBEp2fQ?li=AAgh2NH&ocid=SK216DHP

Anúncios

Alimentação ‘Junk food’ inflama o cérebro e aumenta o apetite Dois estudos revelam como desativar nossa dependência natural de gorduras para evitar a obesidade

Comidas processadas modificam o cérebro Public Health England

Os humanos têm um cérebro viciado em gordura. Durante dezenas de milhares de anos, essa dependência nos ajudou a desenvolver um intelecto cada vez maior e a sobreviver num ambiente com alimentos escassos. As gorduras são uma das fontes mais ricas em calorias. Por isso, quando as encontrávamos, os neurônios aumentavam nosso apetite para que fizéssemos um banquete e armazenássemos uma boa quantidade de nutrientes para os dias de penúria. Nosso modo de vida mudou muito desde então, mas nosso cérebro não. Ele continua nos pedindo mais combustível no ambiente atual, onde a comida saturada de gordura, sal e açúcar está sempre ao alcance das mãos. Eis uma das razões para a crescente epidemia de obesidade. É muito difícil lutar contra a evolução.

Uma equipe de cientistas dos Estados Unidos acaba de revelar a chave que governa esse processo e que poderia permitir o desenvolvimento de melhores fármacos contra o sobrepeso. Até agora, sabia-se que a ingestão de alimentos é controlada por neurônios do hipotálamo, uma área muito interna e fundamental do encéfalo, mediada por hormônios como a leptina. Mas essa é apenas uma parte do processo. Como mostra o novo estudo, as células do sistema imunológico encontradas no cérebro, chamadas de micróglia, ficam inflamadas com a ingestão de uma dieta rica em gorduras. Essa inflamação está associada ao aumento do apetite e, portanto, com o sobrepeso e a obesidade.

Em seu estudo, os pesquisadores usaram camundongos cujas células da micróglia foram eliminadas ou desativadas geneticamente. Apesar de continuarem consumindo a dieta repleta de gorduras, os animais modificados comem 15% menos e perdem até 40% do peso. Por outro lado, se um roedor normal tiver uma inflamação dessas células do hipotálamo, comerá 33% mais e ganhará até quatro vezes o seu peso. Tudo isso indica que a comida rica em gorduras provoca uma inflamação da micróglia, que, por sua vez, desencadeia essa ânsia de comer que vem como item de série em nossa massa cinzenta.

“Existem hoje fármacos que agem diretamente nos neurônios reguladores do apetite, mas não são muito específicos e produzem efeitos colaterais, como depressão e ansiedade”, explica o pesquisador espanhol Matías Valdearcos, da Universidade da Califórnia, San Francisco, e principal autor do estudo, publicado na revista Cell Metabolism. “Do ponto de vista terapêutico, é muito mais fácil intervir nessas células. Portanto, está aberta a porta para encontrarmos um fármaco que regule esse mecanismo”, afirma.

Nosso cérebro continua pedindo mais combustível no ambiente atual, onde a comida saturada de gordura, sal e açúcar está sempre ao alcance das mãos. Essa é uma das razões para a crescente epidemia de obesidade

As células cerebrais envolvidas no processo fazem parte da glia, um conjunto de células do encéfalo que até há pouco eram consideradas meros andaimes para sustentar os neurônios. Pesquisas mais recentes demonstraram que tais células podem ter outras funções mais importantes no funcionamento do cérebro. Assim como os camundongos do estudo, as pessoas obesas têm as células da glia inflamadas no hipotálamo, ao contrário das que têm peso normal. E essa inflamação também ocorre em humanos com lesão cerebral, doenças neurodegenerativas e câncer.

Agora, a equipe de Valdearcos pretende revelar os detalhes desse mecanismo e observar se ele também ocorre em humanos. Além disso, os cientistas prestam atenção num ensaio clínico com o fármaco PLX3977, do laboratório norte-americano Plexxikon, em pacientes com leucemia, tumores sólidos e artrite. Essa droga tem o mesmo mecanismo que a usada pelos pesquisadores para eliminar a micróglia dos camundongos que emagreceram drasticamente. Assim, esperam ver se há benefícios similares nos pacientes.

Perda de olfato faz emagrecer

Pablo Irimia, porta-voz da Sociedade Espanhola de Neurologia, ressalta que o estudo “permite estabelecer uma abordagem da obesidade bastante diferente do que se fez até agora”. O neurologista da Clínica Universitária de Navarra, que não participou do estudo, destaca: “Qualquer animal deixa de comer quando está saciado, embora haja mais alimento, mas isso não acontece com os humanos. Continuamos comendo apesar da saciedade.” E completa: “Isso se explica pelas diferenças no hipotálamo e, especificamente, nas células da micróglia, tal como indica o novo estudo.”

O aumento de peso se deve não só às calorias que você consome, mas também a como o organismo percebe essas calorias

Segundo Valdearcos, conseguir uma nova droga que modere esse mecanismo tão conservado durante a evolução é especialmente necessário para as pessoas com graves problemas de obesidade, para as quais o exercício e a mudança de dieta não funcionam. No futuro, porém, a droga também poderia ser benéfica para a população em geral, nesses tempos de comida processada. “Os hábitos alimentares de hoje não têm nada a ver com os de antes. Comemos demais. E nosso estilo de vida nos leva à comida rápida, que está modificando nosso cérebro, nos faz comer mais, pensar mais em comida e consumir alimentos mais viciantes”, diz o biólogo.

Outra pesquisa publicada na mesma revista oferece resultados mais surpreendentes sobre o tema. Cientistas da Universidade da Califórnia, Berkeley, mostraram que os camundongos sem olfato engordam menos que os que têm, mesmo comendo exatamente a mesma quantidade de comida gordurosa. Por outro lado, roedores com maior capacidade olfativa engordam mais.

Não se sabe o motivo do fenômeno, mas os pesquisadores acreditam que o cheiro da comida tenha um papel importante na maneira como o corpo queima as calorias. Sem olfato, é possível que o metabolismo queime mais energia em vez de armazená-la.

“O aumento de peso se deve não só às calorias que você consome, mas também a como o organismo percebe essas calorias”, explica Andrew Dillin, coautor do estudo, num comunicado da instituição. “Se pudermos replicar esses resultados em humanos, talvez possamos fazer uma droga que não interfira no olfato mas que bloqueie essa parte do metabolismo, o que seria impressionante.” Enquanto isso não for possível, à maioria de nós só restará comer melhor e mexer mais o corpo.

FONTE : https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/05/ciencia/1499268556_503850.html

Manipuladores e manipulados Há especialistas em manipular a vida alheia e pessoas suscetíveis de serem manipuladas Perder o medo de não agradar sempre é o primeiro passo para se livrar dos chantagistas

ALBERTO VÁZQUEZ

Você já se sentiu pressionado a fazer algo que não queria? Já se sentiu coagido a dizer sim quando, na verdade, quis dizer não? Quando agimos sob a influência de um outro e nos deixamos levar por suas opiniões, não estamos com o foco em nosso poder pessoal. Para que não nos manipulem, devemos ter claro onde e quando colocar limites. Devemos nos atrever a dizer não, sem medo do julgamento dos outros, do fracasso ou da rejeição. Enquanto tivermos medo de sermos rejeitados, seremos manipulados. Porque esta é precisamente uma das armas do manipulador: “Se não agir da maneira que eu quero, não vou falar mais com você.” O manipulador depende do manipulado e vice-versa. É uma relação de perda de liberdade.

O manipulador divide, mente, é egocêntrico, não leva em conta os direitos, necessidades e desejos dos outros”

Um ser livre se atreve a dizer não e age baseando-se em suas convicções, sem medo de ficar sozinho ou de ser rejeitado. O sistema não está interessado em seres livres, com força de vontade desenvolvida, que pensem conscientemente, atuem e assumam a responsabilidade por si mesmos. Por isso, somos manipulados em muitos níveis, social, político, midiático, publicitário, nas relações interpessoais.

Este artigo está focado na importância de compreender os processos de manipulação interpessoal, em como perceber a tempo que uma pessoa é manipuladora para assim não permitir que nos manipule e em recuperar nosso poder interior.

Como é a sua personalidade

Embora não exista um perfil próprio dessas pessoas, podemos detectar atitudes próprias das pessoas com tendência a manipular. Isabelle Nazare-Aga define algumas características:

– Muda de opinião, de comportamento e de sentimentos em função das pessoas e das situações.

– Culpa os outros, transferindo a eles a responsabilidade que corresponde a ele ou ela.

– Critica sem ser notado, desvaloriza e julga. Joga com a ignorância dos outros para demonstrar sua superioridade.

– Sabe se fazer de vítima para que tenham pena dele.

– Divide para governar melhor. Mente. É egocêntrico. Quando pode, tenta deixar bilhetes, ligar ou mandar mensagens em vez de se mostrar.

– Não leva em conta os direitos, necessidades ou desejos dos outros.

– Espera até o último minuto para pedir, dar ordens ou fazer com que os outros trabalhem.

Emoções e poder

1. Livros

– ”Os Manipuladores Estão Entre Nós”, de Isabelle Nazare-Aga (Ediouro).

– “Chantagem Emocional”, de Susan Forward (Rocco).

– “Poder Sem Limites”, de Anthony Robbins (Best Seller).

– “La libertad primera y última” (A Liberdade Primeira e Última), de Anthony Robbins (Editorial Kairós).

– “O medo à liberdade”, de Erich Fromm (LTC).

– “El poder y sus conflictos” (O poder e seus conflitos), de Josep Redorta (Editorial Paidós).

– “Cúmplices – Para Além das Relações de Dependência”, de Miriam Subirana (Vozes).

2. Filme

– “Desejo e Reparação”, dirigido por Joe Wright, baseado no romance de Ian McEwan.

“O manipulador divide, mente, é egocêntrico, não leva em conta os direitos, necessidades e desejos dos outros”

“Às vezes é preciso se afastar um pouco para observar o que estamos vivendo e perceber os limites”

– Usa a bajulação, dá presentes ou alguns mimos, de repente.

Entre as formas mais comuns de manipulação está a chantagem emocional, na qual, por exemplo, uma ameaça com terminar um relacionamento se o outro não fizer o que ele quiser; se seus desejos não forem concedidos, chama o outro de egoísta, interesseiro ou insensível. Em vez disso, diz Susan Forward, “eles se desfazem em elogios quando cedem a seus desejos mas esquecem quando o outro permanece firme”.

Dúvidas e medo

“Ninguém pode machucá-lo sem o seu consentimento” (Eleanor Roosevelt)

A pessoa vulnerável a ser manipulada ou aceitar a chantagem emocional costuma ter baixa autoestima, vive sem rumo, perdeu o sentido de sua vida, é muito ingênua, não possui bom senso, depende do outro, teme a solidão. Forward considera essas características: um alto nível de dúvidas sobre si mesmo, um profundo medo do conflito, a necessidade de paz a qualquer preço, uma necessidade exagerada de aprovação, a tendência a assumir muitas responsabilidades em relação à vida de outros.

O caminho para a autonomia emocional começa no momento em que percebemos que estamos sendo manipulados. Devemos ouvir a nossa intuição e estarmos consciente do que sentimos. Às vezes é preciso colocar alguma distância para observar de longe o que estamos vivendo e perceber o que queremos e que é preciso definir limites. É importante reconhecer que sua responsabilidade em qualquer situação de manipulação na qual estiver envolvido é sua contribuição à mesma. O processo de responder a qualquer pessoa ou situação é algo que acontece em você. Ninguém pode fazer com que sinta nada sem sua permissão.

Recuperar nosso poder

“Podemos mudar o comportamento e conseguir que outros mudem os deles” (Josep Redorta)

Para alcançar e manter um estado de plenitude, é preciso saber o que o aproxima da plena realização e aquilo que o afasta dela. Você deve se arriscar positivamente ao se conceder poder, liberar-se de qualquer aspecto que faça sombra e permitir que seu ser se manifeste com todo seu potencial. Para conseguir isso, deve ter a soberania sobre seu mundo interior e assegurar de não deixar portas abertas à submissão. Quer dizer, é preciso definir limites, não ficar preocupado desnecessariamente e não se alegrar na dor nem na sensação de estar sendo vítima. Porque se por um lado se fortalece e por outro se enfraquece, não vai conseguir manter o foco no poder interior que precisa para viver livre de dependências emocionais.

Às vezes é preciso se afastar um pouco para observar o que estamos vivendo e perceber os limites”

Para recuperar a soberania pessoal, revise suas crenças. Você acha que para ser amado precisa sempre agradar o outro? As preocupações dão saúde, bem-estar, ajudam a canalizar a energia de sua mente, a encontrar soluções? Você se beneficia de agradar o outro renunciando ao que é melhor para você? Se a resposta for não, revise por que mantém esses comportamentos.

Estabeleça limites e expresse suas necessidades

Manipuladores e manipulados
ALBERTO VÁZQUEZ

Para evitar o conflito, costumamos ceder aos pedidos do outro contra nosso bem-estar interior. A necessidade de paz a qualquer preço nos deixa doentes, pois não colocamos limites, não declaramos nossas necessidades e nos tornamos dependentes das decisões e atitudes do outro. É importante não ter medo de irritar o outro. O medo diminui nossa capacidade de responder assertivamente sem ser manipulado. Quando estamos na defensiva, mostramos ao manipulador que estamos sob sua influência, e ele ou ela vai se regozijar com o poder que tem sobre nós. Assim o alimentamos. Podemos ser assertivos, comunicar sem atacar e sem ficar na defensiva. Se o seu relacionamento com o outro estiver baseado em uma necessidade, na constante busca de gratificação, vai tentar que a pessoa satisfaça suas carências. Ao se relacionar a partir da necessidade, é inevitável que existam expectativas, conflitos, frustração. Enquanto nos relacionarmos com o outro a partir de nossas necessidades dependentes, as relações continuarão sendo ninhos de conflitos, de mal-entendidos e de manipulação. Ao contrário, relacionar-se com o outro a partir da plenitude do nosso ser nos oferece um vínculo criativo e complementar.

FONTE: https://brasil.elpais.com/brasil/2012/09/21/estilo/1348239424_807155.html

Jarra promete dobrar tempo de conserva de vinho depois de aberto

Segundo criadores, a invenção deve manter o sabor da bebida por até uma semana

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br)

17/06/2017 às 10h00

Não conseguiu beber o vinho todo em uma noite? Não se preocupe, uma jarra desenvolvida por uma equipe especializada em vinhos promete dobrar o tempo de conserva da bebida depois de aberto.

(Reprodução: Divulgação)

A invenção, batizada de Savino Wine Saving Carafe, afirma manter o vinho fresco por até uma semana depois de aberto. Produzido em dois tipos de materiais, vidro e plástico de alta qualidade o que garante uma boa conservação é um flutuador embutido na garrafa, que cria uma barreira física entre o líquido, o oxigênio e uma tampa hermética.

Ficou curioso e já quer testar a jarra? O produto está disponível para venda através do site da Amazon e chega a custar 45,50 dólares, cerca de 149 reais no Brasil.

Torta de maçã é feita com massa caseira; confira receita

Sobremesa rende até oito fatias e é feita com açúcar temperado

Agência O Globo

26/06/2017 às 15h37 – Atualizada em 26/06/2017 às 16h45.

Pra quem gosta de um lanchinho da tarde especial ou um jantar caprichado, aqui vai uma ótima ideia. Essa torta de maçã com massa totalmente caseira é um ótima receita que promete deixar seus convidados de queixo caído. Mãos na massa!

Ingredientes

Da massa: 4 xícaras de farinha de trigo; 1 pitada de sal; 1/4 de xícara de farinha de trigo (para untar); 600g de manteiga gelada; 1 xícara de água gelada; 1/3 de xícara e 2 colheres de sopa de vinagre de maçã gelado.

Do recheio: 12 maçãs médias inteiras; 8 xícaras de água; 1/4 de xícara de suco de limão.

Do açúcar temperado: 2/3 de xícara de açúcar; 4 colheres de chá de tapioca; 1/2 colher de chá de canela; 1/8 de colher de chá de noz-moscada; 2 colheres de sopa de manteiga.

Para finalizar: 2 colheres de sopa de açúcar; água para pincelar.

Modo de preparo:

1. Da massa: é preciso que todos os ingredientes estejam gelados. Para isso, num recipiente, corte a manteiga em retângulos. Em outro, misture a farinha e o sal. Num terceiro, misture a água gelada e o vinagre. Leve os três para a geladeira por, no mínimo, três horas.

2. Em seguida, despeje, sobre uma superfície de mármore, a farinha com sal e coloque os pedaços de manteiga. Com uma faca grande, corte a manteiga, misturando e despejando a água com vinagre, mas sem deixar os pedaços muito pequenos. Se o dia ou o ambiente estiver quente, coloque num saco plástico e leve à geladeira por uma hora.

3. Com um rolo, bata na massa, da ponta de cima para baixo, para formar blocos grandes.

4. Polvilhe a farinha (separada) e bata com o rolo para abrir um retângulo. Dobre a massa rolando com a ajuda da faca, usando-a como uma espátula para não passar o calor das mãos e obter a textura de massa folhada. Repita essa operação mais algumas vezes até conseguir uma massa irregular, mas que fique razoavelmente unida. Use as mãos somente para ajudar a unir migalhas que se desprenderem do bloco principal.

5. Coloque a massa dentro de um saco plástico e leve à geladeira por no mínimo uma hora.

6. Do recheio: misture a água e o suco de limão.

7. Descasque cada maçã e corte em quatro partes. Retire a parte das sementes e coloque na água com limão. Quando acabar de descascar todas as maçãs, escorra a água.

8. Corte cada pedaço de maçã em três partes, e cada parte, em três cubos. Se a maçã for pequena, corte cada quarto em dois pedaços.

9. Num recipiente grande, misture o açúcar, a tapioca, a canela e a noz-moscada. Reserve em recipiente fechado e em temperatura ambiente.

10. Forre uma fôrma, de 26 centímetros de diâmetro, com papel-alumínio e unte com manteiga.

11. Corte cerca de 1/3 da massa, abra com o rolo e forre a assadeira. Tire o excesso de massa que estiver fora da fôrma. Reserve.

12. Em uma superfície plana, coloque a farinha e abra o restante da massa com 5 milímetros de altura por 40 centímetros de largura. Reserve em geladeira.

13. Do açúcar temperado: misture bem todos os ingredientes.

13. Num recipiente grande, misture bem a maçã com o açúcar temperado.

14. Coloque as maçãs na fôrma e acrescente os cubinhos de manteiga. Pincele as bordas com ovo e cubra com a massa. Aperte com as mãos para não deixar ar. Corte o excesso de massa com os dedos e faça um babado nas laterais.

15. Pincele a água e polvilhe o açúcar. Com uma faca, faça oito cortes no topo para o ar sair.

16. Deixe a torta na geladeira, coberta com plástico por no mínimo duas horas.

17. Asse em forno preaquecido a 140ºC por cerca de duas horas. Sirva quente e, se quiser, com sorvete de creme.

Lanchinho: Aprenda a fazer um pão de queijo de tapioca

Receita saudável é ótima opção para comer em família

Agência O Globo

27/06/2017 às 17h45

Que tal aproveitar um lanchinho sem enfiar o pé na jaca, mas curtindo todos os sabores das celebrações desta época do ano? A chef Daniela Almeida e o chef Thiago Andrade criaram um menu junino com comidinhas típicas, mas saudáveis e que podem ser aproveitadas após este período. Tem arroz doce integral, cocada integral, sopa de milho com presunto serrano crocante e crouton de tapioca, além do delicioso snack de grão de bico. A seguir, eles revelam a receita do pão de queijo de tapioca. Imperdível!

Ingredientes:
1 xícara e ½ de leite
4 colheres de sopa de óleo
3/4 de xícara de tapioca granulada
1 ovo inteiro batido
½ xícara de parmesão ralado na hora
1 xícara de chá de polvilho doce
Sal a gosto
1 xícara de parmesão ralado na hora

Obs: O parmesão aparece 2 vezes na receita, porque um vai dentro da massa e depois de pronto as bolinhas são passadas no queijo antes de assar.

Modo de fazer:
– Em uma panela, misture o leite, o óleo e o sal e deixe ferver. Reserve.
– Numa tigela, misture a tapioca granulada com o leite fervente da panela e deixe esfriar. Mexa a cada 5 minutos com o fouet para ajudar.
– Quando a mistura estiver fria, virará uma espécie de goma. Acrescente 1 ovo, ½ xícara de queijo ralado e o polvilho doce. Misture bem.
– Com as mãos, pegue pequenas porções, faça bolinhas e passe no queijo ralado.
– Forre uma assadeira com papel manteiga e asse em forno médio pré-aquecido por mais ou menos 30 minutos.
– Retire do forno e sirva em seguida.

Cafeomancia: O futuro na borra de café

O desejo do ser humano em prever o futuro pode estar, talvez, em sua natureza e o acompanha desde o início de sua existência. Runas, leitura das mãos, astrologia, búzios são alguns dos meios mais conhecidos que “prometem” falar sobre o que ainda não aconteceu. Embasada nesta necessidade, civilizações árabes desenvolveram a cafeomancia: arte de prever o futuro de quem tomou o café por meio de figuras feitas na borra de café deixada na xícara.

Como funciona? Diferente do que muitos acreditam, a leitura da borra de café não é complicada. Ela exige muita concentração e sensibilidade para perceber/entender a figura que surge. De acordo com os manuais de cafeomancia, alguns cuidados deverão ser tomados antes de começar a consulta. É importante que o ambiente seja purificado com um copo de água com sal sobre a mesa na qual o processo será efetuado. Uma xícara de água, uma colher de pó e uma de açúcar são os elementos necessários para preparar o café. A água deve ser fervida com todos os ingredientes e depois deve descansar por alguns minutos. Uma nova fervida deve ser feita antes de servir o café. Existe a preferência por xícaras de porcelana com a boca mais larga que o fundo, pois isso facilitará a leitura. Não é recomendado coar demais o café, pois uma boa quantidade de pó é necessária para formar as figuras com sua borra.

Para que o processo funcione o café deve estar um morno e o consultante tem que tomá-lo lentamente, se concentrando no que deseja saber. Quando acabar, a xícara deverá ser coberta por um pires e virada de cabeça para baixo em um movimento rápido. Depois, usando a intuição, deve-se observar as formas que vão aparecer.

Existem cursos e pessoas que ensinam como fazer este tipo de leitura. Se você está curioso em saber agora mesmo o que cada figura significa, preparamos um guia rápido dos significados de cada imagem que, possivelmente, aparecerá na borra de seu café.

Âncora: sucesso nos negócios;
Arco: se não estiver bem definido, significa que aparecerão oportunidades inesperadas. Se estiver bem definido, os desejos do consultante poderão ser realizados;
Árvore: objetivos alcançados em breve;
Bailarina: receberá ajuda de uma mulher;
Bengala: simboliza uma ajuda inesperada;
Boca: insatisfações no campo sexual;
Boi: novo emprego com auxílio de pessoa obesa;
Buquê: alegria no casamento ou com amizades;
Cachimbo: poderá viver um amor proibido;
Cadeado: mudanças na cidade;
Caixa: um velho amor deverá procurar o consultante novamente;
Castelo: felicidade no amor;
Chaleira: período tumultuado no romance;
Círculos: grandes, representam o fim de um relacionamento. Pequenos, indicam casamento;
Cobra: possibilidade de traição;
Concha: família deverá apoiar planos no setor profissional;
Coração: paixão a caminho que poderá mudar a vida do consultante;
Coroa: subir de cargo no trabalho e recebimento de dinheiro extra;
Cruz: brigas e problemas futuros;
Escada: dificuldades pela frente;
Espiral: pessoa querida poderá estar pensando em você;
Estrela: felicidade em todos os setores;
Ferradura: sinal de ganhos inesperados;
Flecha: notícias novas chegarão; se houver pontos em volta, são sinais de más notícias financeiras;
Folha: período de esfriamento amoroso;
Garrafa: consultante é muito dependente no setor afetivo;
Linhas curvas: indicam dificuldades futuras;
Linhas paralelas: indicam que seus caminhos estão abertos para a prosperidade;
Linhas retas: são sinal de determinação;
Lua: romance em breve;
Macaco: sinal de que a fase é favorável para aplicar dinheiro;
Montes: sucesso profissional;
Nota musical: grande felicidade ao lado de amigos;
Ovos: consultante está sendo traído;
Ponte: viagens agradáveis;
Pontos: representam dinheiro que pode vir de herança ou aumento de salário;
Porta: oportunidades futuras;
Prédio: problemas com dinheiro;
Quadrado: momentos de insatisfação e solidão no futuro;
Sol: sorte e felicidade;
Traços: são o indício de um novo projeto que se aproxima;
Trem: pessoa querida pode chegar;
Trevo: prosperidade na vida em geral;
Triângulo: indica grande sorte no amor com um novo relacionamento;
Vela: fim de um romance.

Fonte: http://www.coffeebreak.com.br/

Escrito por Mexido de Ideias em Cultura